7 coisas que você não sabe sobre o filme ‘Clube da Luta’

Vamos falar agora de uma das inspirações para a criação do conceito da campanha de Alto Verão 2018 – Listen To Yourself.

Se você é um super fã que não fala sobre o “Clube da Luta” você pode, pelo menos, ler a respeito. Você provavelmente já sabe que há um copo do Starbucks em quase todas as cenas; que Tyler Durden fez uma paródia do aviso do FBI; que o autor Chuck Palahniuk prefere o filme ao seu próprio livro. Mas o pessoal do HuffPost Brasil foi buscar mais fundo em entrevistas e perfis esquecidos, puxando palavras direto do elenco e da equipe de roteiristas até encontrar estes fatos curiosos que você realmente não deve conhecer sobre o filme “Clube da Luta”.

Separamos algumas das melhores curiosidades sobre o filme!

 

1) O Narrador foi filmado como se ele estivesse se transformando em Gollum enquanto o filme avançava e o poder de Tyler Durden aparecia

 

 

Em entrevista ao The Yale Herald em 1999, Edward Norton explicou as duas diferentes transformações de Tyler Durden e seu personagem Narrador:

“Juntos, nós decidimos que eu ficaria muito magro. É quase uma metáfora do drogado. O narrador é um cara pouco confiável tanto que ele diz “você foi esculpido em madeira e se sente poderoso” e, no entanto, seu corpo está se desintegrando, todo machucado e em pedaços. No entanto, Brad tomou a decisão de seguir o caminho oposto pois Tyler é a forma como meu personagem enxerga a si mesmo. Brad foi ficando maior ao longo do filme, mais forte e enorme, bronzeado e bonitão ao mesmo tempo em que eu me tornava Gollum.”

De acordo com Norton, o Narrador também foi baseado em Holden Caulfield. Conforme Norton disse à revista Interview em 1999: “Nós tentamos criar uma narrativa interna quase fúnebre de Holden Caulfield no filme, já que o meu personagem fala sobre sua vida de viagens e quartos de hotel com antissépticos bucais e escovas de dente e porções individuais e um mini-monte-de-coisas.”

 

2) Tanto homens quanto mulheres imploraram ao autor Chuck Palahniuk para que ele lhes mostrasse onde poderiam encontrar clubes de luta de verdade para ficarem sócios

 

 

Chuck Palahniuk disse à revista Premiere, em 1999, que as pessoas vinham até ele, em sessões de autógrafo, e imploravam para que ele informasse sobre lugares reais de clubes de luta. Palahniuk comentou: “Você ficaria bem surpreso com o número de mulheres interessadas.”

De acordo com as anotações da entrevista, embora Palahniuk tenha ouvido rumores de clubes de luta reais em lugares como Nova Jersey e Londres, o autor não daria a esses aspirantes qualquer informação útil. Palahniuk explicou: “Eu dizia: ‘Não, é de faz de conta, é falso’. Isso partia o coração das pessoas.”

 

3) O abdome de Brad Pitt estava tão forte na época que Edward Norton quebrou seu polegar

 

 

Na entrevista para a revista Premiere, Edward Norton e Brad Pitt brincaram sobre os vários combates que tiveram que fazer para a tela e como alguns movimentos não poderiam ser de mentira. Norton se lembrou de um movimento em particular: “Eu quebrei meu polegar com o Brad uma vez, em seu abdome.”

A autora do artigo da Premiere, Johanna Schneller, escreveu no complemento: “(Isso é bom demais para ser verdade. Você já viu o abdome do Pitt?)”

Indo mais fundo neste debate sobre a luta, Norton lembrou: “Nós dois apanhamos de joelhos no peito, quebramos costelas e só tinha o vento batendo”. A isso, Pitt respondeu: “Isso só mostra como éramos legais.”

 

4) Edward Norton e Brad Pitt aprenderam a fazer sabão com uma pessoa chamada Auntie Godmother (“Tia Madrinha”)

 

 

Auntie Godmother’s é uma empresa especializada na fabricação de sabão da Califórnia e foi fundada em 1995. Sua fundadora Cheryle-Anne Townsend, que atende pelo nome de Auntie Godmother, ensinou tanto Edward Norton quanto Brad Pitt a fazerem sabão para seus papéis no filme.

Em um post do Facebook, sobre uma feirinha de rua em 2010, Townsend comentou sobre seu negócio: “Nós somos fabricantes de sabão profissionais e fizemos todos os sabonetes para o filme ‘Clube da Luta’. Eles, na verdade, descobriram a gente na feirinha de rua!”

 

5) Tyler Durden e Marla são, na verdade, personagens baseados em pessoas reais. Chuck Palahniuk se inspirou em seis amigos dele ao escrever a história

 

 

Johanna Schneller escreveu no artigo da Premiere sobre o Tyler do mundo real: “‘Tyler’ é um carpinteiro com propensão a invadir propriedades; ele liderava incursões a prédios condenados para salvar mármores e outros acessórios.”

Palahniuk foi citado dizendo que seu amigo Tyler é “uma dessas pessoas neorromânticas que pensam que se o bug Y2K acontecesse, todos nós iríamos ser melhores.”

A amiga que inspirou a personagem Marla aparentemente tinha um desejo bem antes de que Palahniuk fosse um aclamado autor: que se ele um dia ficasse famoso, ele a levaria para conhecer Brad Pitt. Anos mais tarde, Brad Pitt foi escalado para o filme e Palahniuk pôde levar todos os seis amigos que inspiraram os personagens para o set de filmagem. Ele lembrou: “Então, eu pude dizer: ‘Tyler, este é o Tyler’; ‘Marla, esta é a Marla’, e todos estavam realmente fascinados uns pelos outros.”

Em uma entrevista de 2014 para a TOR, Palahniuk descreveu em detalhes como seus amigos Tyler e Marla são na vida real, enquanto explicava como seriam os “novos looks” dos personagens nas sequências do filme. Tyler aparentemente teria “cabelos loiros, na altura dos ombros, como Jesus” e Marla não seria “muito parecida com a personagem que Helena Bonham Carter interpretou.”

 

6) Há uma boa chance de que os suspiros de Leonardo DiCaprio morrendo no “Titanic” tenham sido reutilizados na cena da caverna de gelo

 

 

De acordo com um artigo em 2000 do Cinefex, o Blue Sky Studios fez a computação gráfica do filme e já que estavam associados anteriormente a uma empresa chamada VIFX, que trabalhava para o filme “Titanic”, eles tinham à disposição uma “biblioteca de elementos de respiração genéricos criados para o filme”. Não temos certeza se a respiração de Leonardo DiCaprio é exatamente a mesma que foi usada na cena da caverna de gelo.

Dito isto, este artigo do Cinefex disse explicitamente que “elementos existentes na respiração” do “Titanic” foram, no entanto, utilizados no “Clube da Luta”, e o artista digital John Siczewicz foi citado dizendo:

“Depois de começar com os elementos existentes de respiração [do “Titanic”], nós recortamos, colamos e dissolvemos até termos algumas respirações animadas que funcionavam como ação do vento dentro do túnel de gelo. Já que nem a câmera nem o ator estava presente em todas essas tomadas, eu tive que acompanhar o ponto de origem de cada respiração. Uma vez que essas respirações em forma de vórtice misturavam-se, toda a cena caía em temperatura abaixo de zero.”

 

7) Durante entrevista à imprensa, Brad Pitt e Edward Norton tentaram não falar sobre o “Clube da Luta”

 

 

Johanna Schneller escreveu no artigo da Premiere que retrata o filme, que ao falar com Pitt e Norton, os dois tentaram evitar falar do “Clube da Luta”. Ela explicou: “Eles resistiam. Eventualmente, eles me diziam que, sim, eles estavam aqui para falar sobre o ‘Clube da Luta’, mas eles realmente não queriam falar sobre isso.”

Adicionalmente, Schneller escreveu: “(Ah, eu entendi — no espírito subversivo do ‘Clube da Luta’, eles decidiram desconstruir a entrevista para a revista).”

Eventualmente, depois de idas e vindas dela com os dois atores sobre se eles deveriam falar do “Clube da Luta”, Pitt desafia Schneller, dizendo: “Diga-nos você do que se trata [o ‘Clube da Luta’].”

BÔNUS: Pode ser difícil dizer que o “Clube da Luta” trata de qualquer coisa específica, mas, como brincadeira, Norton e Pitt teriam dado esta descrição bem simples sobre o filme:

“A história de dois amigos que iniciam um clube amador de boxe para jovens desfavorecidos e a mulher que aparece entre eles.”

 Em seu texto para a Premiere, Johanna Schneller escreveu que a primeira vez que Norton sorriu completamente durante a entrevista foi quando ele começou a narrar a simplificação ridícula que ele e Pitt usavam para descrever o “Clube da Luta”. O ator se sentou em sua cadeira e usou uma “voz impostada e melosa”. Norton começou dizendo: “Por um tempo, descrevíamos como uma história de dois amigos que iniciam um clube amador de boxe para jovens desfavorecidos…”

Neste momento, Brad Pitt entrou na conversa e terminou a descrição de Norton dizendo: “…e a mulher que aparece entre eles.” Pitt continuou: “Que é a melhor explicação que eu já ouvi sobre o filme.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *